Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

Elegias de Sexto Propércio



Propércio, Sexto (Autor), Flores, Guilherme Gontijo (Tradutor)

Letras e Linguística, Filosofia


Sinopse

As elegias de Sexto Propércio são grande poesia, grandeza de que um Ezra Pound foi sabedor. Propércio foi contemporâneo de expoentes como Virgílio e Horácio – foi amigo deles e, como eles, privou da amizade de Mecenas, patrono das letras, que os punha em contato com o próprio imperador – e, ao lado de Tibulo e Ovídio, integra a tríade de poe-tas elegíacos da época de Augusto. Com tudo isso, a poesia de Sexto Propércio é menos conhecida no Brasil que a dos amigos e decerto menos conhecida que a de Ovídio, porque, entre outros motivos, faltava um trabalho como o de Guilherme Gontijo Flores, provavelmente o primeiro tradutor em verso de toda a poesia de Propércio em português, e também porque faltava uma publicação como a que o leitor agora tem em mãos, que lhe oferece já não alguns excertos ou certas escolhas, por excelentes e certos que sejam, porém a totalidade dos poemas, que mais de uma vez dialogam entre si, dispostos na mesma precisa ordem em que se dispunham nos quatro livros, tais como o poeta os designara. O livro de poesia, se para o leitor antigo já era objeto apreciado, para o poeta era, antes, o universo que ele constelava com poemas meticulosamente compostos e dispostos. Não obstante o rigor crítico que parece subjazer toda a recolha, de que o mesmo Pound é campeão, só a tradução integral pode revelar a poética dos poemas no livro e a poética dos livros entre si. As elegias de Sexto Propércio são, sim, grande poesia, e a tradução de Guilherme Gontijo Flores, porquanto aufere prestígio de ser primeira e integral, vale como linguagem em cada poema. Responde formalmente em português à forma dística em que as elegias são compostas, não impondo a todos os versos unidade métrica que não têm, mas regulando-os metricamente em pares de dodecassílabos e decassílabos; mantém o mesmo número de versos, que é a unidade mínima do poema, com o que se exime de secura e de enfatuamento, triste fim da concisão e da clareza quando viciosos. E principalmente, sem que o texto traduzido seja mera legenda de um latim que, visto ali ao lado, talvez já não se leia, o tradutor, todavia, não faz parecer que o texto tenha sido composto originariamente em português, como se Propércio, nascesse no Brasil!, assim fizesse. Cheia de si, como toda tradução deve arrogar-se, a de Guilherme Gontijo quer revelar-se crítica poética de estrangeira poesia; sem iludir-se, é diversão sobre alheios versos. No recreio a que se propõe, é criação, quando é também poesia. João Angelo Oliva Neto

Metadado adicionado por Grupo Autêntica em 26/09/2016

Encontrou alguma informação errada? Perguntar para a Grupo Autêntica

ISBN relacionados

--


Metadados completos:

  • 9788582173954
  • Livro Impresso
  • Elegias de Sexto Propércio
  • --
  • 1 ª edição
  • Clássica
  • --
  • --
  • --
  • Edição bilíngue
  • --
  • Propércio, Sexto (Autor), Flores, Guilherme Gontijo (Tradutor)
  • Letras e Linguística, Filosofia
  • Teoria e crítica literária
  • POE000000
  • 2014
  • 30/07/2014
  • Português
  • Brasil
  • --
  • --
  • 16 x 23 x 2.8 cm
  • 0.4 kg
  • Brochura
  • 528 páginas
  • R$ 84,90
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9788582173954
  • 11612
  • --

Áreas do selo: ArtesEducaçãoGastronomiaHumanidadesIdiomas e referênciaInfantojuvenilLiteratura estrangeiraLiteratura nacionalParadidáticos / LeituraParadidáticos / ReferênciaSaúde, esporte e lazerTécnicosTeoria e crítica literáriaTurismo

Autêntica conta com mais de 700 publicações em seu catálogo. Reconhecida por seu trabalho com o público acadêmico e por suas obras destinadas às áreas das Ciências Humanas, a editora foi crescendo com o passar dos anos e passou a publicar livros com temas mais abrangentes e diversificados, como literatura brasileira e estrangeira de qualidade, com nomes de peso como Maura Lopes Cançado, Ferreira Gullar e Virginia Woolf. O catálogo contempla também obras de Antropologia, Cultura Negra, Sociologia, Historiografia, Comunicação, Cinema e Teatro, Biblioteca Escolar, Linguística, Educação, entre outros. A editora assumiu o desafio de trazer para a língua portuguesa obras de Filosofia fundamentais para seus leitores. Exemplos dessa empreitada são a tradução bilíngue (latim-português) da Ética, de Spinoza, e o Vocabulário de Foucault – Um percurso pelos seus temas, conceitos e autores, do argentino Edgardo Castro. Em 2011, criou a coleção Filô, contemplando autores clássicos e contemporâneos da Filosofia, que vão de Platão e Espinosa, a Walter Benjamin, Giorgio Agamben e Slavoj Žižek. Publicações importantes em áreas mais específicas da Educação, como Pedagogia/Formação de Professores, Filosofia da Educação, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Matemática, Ensino da Escrita e da Leitura, História da Educação, entre outras, integram o catálogo. Atualmente, a editora aposta em publicações de luxo, com capa dura e acabamento sofisticado, de nomes como James Joyce, Rubem Braga, Campos de Carvalho, Foucault e Thomas Moore. Além disso, é a responsável pela publicação de O Sumiço, tradução em língua portuguesa de La Disparition, romance de Georges Perec todo escrito sem a letra “e”.

Saiba mais