Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

Sentenciando tráfico
papel dos juízes no grande encarceramento



Semer, Marcelo (Autor)

sentenciando, tráfico, direito, penal, juizes, encarceramento


Sinopse

Marcelo Semer é um dos grandes juízes do Brasil.

É muito difícil adjetivar deste modo, mesmo porque é da complexidade que sai um adjetivo assim, mas, no caso, há de se fazer um esboço do complexo para se ter uma aproximação e, com ela, tentar comparações produtivas e incentivos necessários. Ora, em geral quando isso se fala de um juiz diz-se que ele: 1. Sabe muito (o que não é tudo) Direito e campos afins; 2. Sabe muito sobre as matérias específicas com as quais trabalha, no caso aquelas do campo criminal; 3. Não para de estudar, o que é distinto de estudar os casos concretos; 4. Aplica irrestritamente a Constituição e demais leis como sua primeira fonte, dado estar em um sistema de Civil Law; 5. Decide por princípio, como il piccolo giudice, de Leonardo Sciascia;

Marcelo Semer é um dos grandes juízes do Brasil.

É muito difícil adjetivar deste modo, mesmo porque é da complexidade que sai um adjetivo assim, mas, no caso, há de se fazer um esboço do complexo para se ter uma aproximação e, com ela, tentar comparações produtivas e incentivos necessários. Ora, em geral quando isso se fala de um juiz diz-se que ele: 1. Sabe muito (o que não é tudo) Direito e campos afins; 2. Sabe muito sobre as matérias específicas com as quais trabalha, no caso aquelas do campo criminal; 3. Não para de estudar, o que é distinto de estudar os casos concretos; 4. Aplica irrestritamente a Constituição e demais leis como sua primeira fonte, dado estar em um sistema de Civil Law; 5. Decide por princípio, como il piccolo giudice, de Leonardo Sciascia;

6. Como lugar de referência, não usa do poder jurisdicional que tem para resolver seus problemas subjetivos pessoais; 7. Com bastante domínio da situação externa e interna, não tem medo de interagir de modo cordato com os demais sujeitos da Justiça, sobretudo servidores, advogados e partes, embora fosse necessário pensar em outros, sobretudo os "superiores"; 8. Ciente da sua estrutura que estampa, sempre, algo que falta, tem humildade para reconhecer seus eventuais erros e defeitos, apesar do poder que detém; 9. Não se ilude com o elogio fácil, mas não deixa de se motivar pelo reconhecimento sincero fundado em fatos; 10. Constrói uma reputação por aquilo que é, e não pelo que dizem que é...

Nada disso ou nenhuma destas características é absoluta e, no entanto, todos sabem quais são e reconhecem... os grandes juízes; e têm orgulho deles. Têm presente, como lugar de referência, a sua importância; e a razão por que servem de modelo.

Jacinto Nelson de Miranda Coutinho

Metadado adicionado por Tirant Lo Blanch Brasil em 01/12/2020

Encontrou alguma informação errada? Perguntar para a Tirant Lo Blanch Brasil

ISBN relacionados

9786559080014 (ISBN do e-book em PDF)


Metadados completos:

  • 9786559080021
  • Livro Impresso
  • Sentenciando tráfico
  • papel dos juízes no grande encarceramento
  • 2 ª edição
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • Semer, Marcelo (Autor)
  • sentenciando, tráfico, direito, penal, juizes, encarceramento
  • Educação
  • LAW026020
  • 2020
  • 01/12/2020
  • Português
  • Brasil
  • --
  • Livre para todos os públicos
  • 16 x 23 x 2 cm
  • 0.458 kg
  • Brochura
  • 358 páginas
  • R$ 120,00
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9786559080021
  • 9786559080021
  • --

Sumário

SUMÁRIO

ÍNDICE DE TABELAS............................................................................25

INTRODUÇÃO........................................................................................27

CAPÍTULO 1 - O GRANDE ENCARCERAMENTO..............................31

1.1. LOÏC WACQUANT E A ONDA PUNITIVA – A PERSPECTIVA SÓCIO-ECONÔMICA............................................39

1.2. DAVID GARLAND E A CULTURA DO CONTROLE –A PERSPECTIVA CULTURALISTA.......................................................44

1.3. JONATHAN SIMON E O GOVERNO ATRAVÉS DO CRIME – A PERSPECTIVA INSTITUCIONAL........................................................45

1.4. MICHELLE ALEXANDER E O NOVO JIM CROW – A PERSPECTIVA RACIAL......................................................................48

1.5. STUART HALL E O POLICIAMENTO DE CRISE – A EXPLICAÇÃO MARXISTA.................................................................50

CAPÍTULO 2 - DISTÂNCIAS E APROXIMAÇÕES (OS MODELOS E O ENCARCERAMENTO BRASILEIRO)....................................................55

2.1. A TRANSLAÇÃO DOS MODELOS...............................................55

2.2. OS MODELOS E A REALIDADE BRASILEIRA...........................58

2.3. CONVIVÊNCIA E INFORMALIDADE.........................................65

2.4. O FATOR JUIZ.................................................................................70

CAPÍTULO 3 - PÂNICO MORAL E POPULISMO PENAL...................73

3.1. STANLEY COHEN, O PROCESSO................................................74

3.2. GOODE E BEN-YEHUDA: OS REQUISITOS..............................80

3.3. HALL: A QUESTÃO DA IDEOLOGIA..........................................84

3.4. PÂNICO MORAL: CRÍTICAS E AJUSTES....................................86

3.5. PÂNICO MORAL: CASUÍSTICA...................................................90

3.5.1. Pânico moral e as drogas...............................................................93

3.6. PÂNICO MORAL NO BRASIL: CASUÍSTICA..............................98

3.6.1. Pânico moral e drogas no Brasil...................................................104

3.7. POPULISMO PENAL....................................................................11

CAPÍTULO 4 - ESTADOS DE NEGAÇÃO E LEGADO AUTORITÁRIO. 119

4.1. AS FORMAS DE NEGAÇÃO........................................................120

4.2. AS ATROCIDADES........................................................................121

4.3. OS ATORES DA NEGAÇÃO.........................................................127

4.4. SENTIDOS E MECANISMOS DA NEGAÇÃO..........................132

4.5. O LEGADO AUTORITÁRIO........................................................135

4.6. REFLEXOS NO SISTEMA PENAL...............................................139

CAPÍTULO 5 - SENTENCIANDO TRÁFICO (PESQUISA DE CAMPO) 151

5.1. AS SENTENÇAS.............................................................................152

5.2. A METODOLOGIA.......................................................................153