Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

Lei Maria da Penha
aspectos criminais e políticas públicas de enfrentamento à violência de gênero



Bianchini, Alice (Autor)

lei, maria da penha, direito, direitos das mulheres, mulheres


Sinopse

Faz algum tempo que recebi de Luiz Flávio Gomes um sábio conselho: ir fundo (muito fundo) em um tema acadêmico. Seguindo suas orientações embarquei em uma profunda análise da violência de gênero, o que me rendeu as informações que fazem parte da presente obra.

Além de ótimo conselheiro, Luiz Flávio é um companheiro atento às reivindicações feministas e que está permanentemente fazendo do meu mundo e de todos os que o cercam um lugar melhor para se viver, mesmo quando a sua vida passa por inimagináveis reveses. Sua capacidade de superação, sua força, sua determinação contagiaram minha alma e fizeram de mim uma pessoa ainda mais determinada a continuar na luta pela realização da tão necessária igualdade entre homens e mulheres.

Metadado adicionado por Tirant Lo Blanch Brasil em 30/11/2020

Encontrou alguma informação errada? Perguntar para a Tirant Lo Blanch Brasil

ISBN relacionados

9786586093445 (ISBN do e-book em PDF)


Metadados completos:

  • 9786586093452
  • Livro Impresso
  • Lei Maria da Penha
  • aspectos criminais e políticas públicas de enfrentamento à violência de gênero
  • 1 ª edição
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • Bianchini, Alice (Autor)
  • lei, maria da penha, direito, direitos das mulheres, mulheres
  • Educação
  • LAW026000, SOC028000
  • 2020
  • 08/06/2020
  • Português
  • Brasil
  • --
  • Livre para todos os públicos
  • 23 x 16 x 1 cm
  • 0.388 kg
  • Brochura
  • 275 páginas
  • R$ 65,00
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9786586093452
  • 9786586093452
  • --

Sumário

PARTE I . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17

1. Objetivo e objeto da Lei Maria da Penha - arts. 1º e 5º . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19

2. Critérios específicos de hermenêutica: fins sociais e condições peculiares das mulheres em situação de violência doméstica e familiar - art. 4º . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23

3. Os três contextos da violência de gênero: doméstico, familiar ou em uma relação íntima de afeto – art. 5º . . . . . . . 25

3.1. No âmbito da unidade doméstica – art. 5º, I . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25

3.2. No âmbito da família – art. 5º, II . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .26

3.3. Em qualquer relação íntima de afeto – art. 5º, III . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .28

3.4. Contextos de violência de gênero não contemplados pela Lei Maria da Penha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .29

4. Formas de violência de gênero previstas na Lei Maria da Penha – art. 7º . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31

4.1. A violência física – art. 7º, I . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32

4.2. A violência psicológica – art. 7º, II, redação dada pela Lei 13.772/2018 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .33

4.3. A violência sexual – art. 7º, III . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .35

4.4. A violência patrimonial – art. 7º, IV . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .37

4.5. A violência moral – art. 7º, V . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38

4.6. Outras formas de violência de gênero contra a mulher . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .39

5. Requisitos e consequências do conceito legal de violência doméstica e familiar contra a mulher . . . . . . . . . . . . . 45

6. Destinatários da Lei Maria da Penha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

6.1. Vítimas. . . . . . . . . . . . . . 47

a) Vítima mulher. . . . . . . . 47

b) Vítima transexual ou transgênero . . . 47

c) Vítima homossexual . . . . . . .50

d) Outras vítimas hipossuficientes: idosos, crianças e adolescentes . . . . . . . . . 51

e) Vítima homem . . . . . . . . . . . . .53

6.2. Familiares. . . . . . . . . 56

6.3. Testemunhas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..56

6.4. Agressor. . . . . . . . . . . . .57

7. Atores da Lei (arts. 3º, § 2º, e 27 a 32) . . .. . . . . . . . . . . . 61

7.1. Capacitação dos atores. . . . . . . . . . . . . . . . . .61

7.2. Atores não jurídicos . . . . . . . . .62

a) Equipe multidisciplinar - art. 29 a 32 . . . . . 62

b) Peritos(as) judiciais – arts. 10, A e 35, III . . . . . . 64

7.3. Atores jurídicos . . ..65

a) Advogado(a) - art. 27 . . . .66

b) Defensor público - art. 28. . . . . . . . . .66

c) Delegado(a) de Polícia - arts. 10 a 12 . . . 68

d) Magistrado - art. 9º, §§ 1º e 2º, I, e art. 20. . . . . . . . . . .68

e) Ministério Público - arts. 25, 26 e 37 . . . . .. . 69

8. Medidas protetivas de urgência - arts. 18 a 24 . . . . .. . . . . . . . 77

8.1. Medidas protetivas de urgência que obrigam o agressor – art. 22 . . . . . . .78

8.1.1. Aplicação dos institutos da tutela inibitória - art. 22, § 4º. . . . . . . . 80

8.1.2. Monitoramento eletrônico aplicado a casos de violência doméstica . . . . . ..82

8.2. Medidas protetivas dirigidas à mulher – art. 23 . . . . . . . . . . . .83

8.3. Medidas protetivas dirigidas à proteção patrimonial dos bens da sociedade conjugal ou daqueles de propriedade particular da mulher. . . . . 85

8.4. Medidas protetivas que incidem na relação laboral da vítima – art. 9º, § 2º. . . . . . . . . . .86

a) Garantia de acesso prioritário à remoção quando servidora pública - art. 9º, § 2º, I. . .....87

b) Garantia de manutenção do vínculo trabalhista a funcionárias - art. 9º, § 2º, II . . . . . . . . . . . .88