Precisa de ajuda?

+ 55 11 3706-2995
[email protected]

Livro Impresso

Crianças felizes
o guia para aperfeiçoar a autoridade dos pais e a autoestima dos filhos



Dias, Magda Gomes (Autor)

educação positiva, inteligência emocional, COMO ESTE LIVRO ESTÁ ORGANIZADO, Criar filhos resilientes, positivos e felizes, Saber falar com o seu filho, Quem manda aqui sou eu, EDUCAÇÃO E PARENTALIDADE POSITIVA, afinal, o que é Parentalidade Positiva, Os diferentes tipos de educação, A educação autoritária, A educação permissiva, educação negligente, Por que esses tipos de educação não funcionam


Sinopse

Quantas vezes deixamos os nossos filhos na escola e, no caminho do trabalho, pensamos: “por que temos sempre de nos aborrecer logo de manhã uns com os outros? Por que as coisas não dão certo?”. Prometemos a nós mesmos que, no horário da saída da escola, as coisas serão diferentes. Planejamos atividades para fazer no final do dia, idealizamos os momentos que queremos viver, para depois esbarrarmos no cansaço deles [e no nosso] e acabamos “não virando o disco”. Ficamos estressados, gritamos, afastamo-nos e sentimos o nosso coração apertado porque sabemos que não é nada daquilo que queremos...
Mas há formas simples e práticas para educarmos crianças resilientes, positivas e felizes, sem abdicar da autoridade, mas equilibrando tudo com mimo, empatia, carinho e amizade. Basta percebermos o porquê daquela birra que aparece vinda do nada, aprendermos a falar com os nossos filhos, tendo em conta não só o que dizemos, mas também como dizemos.

Metadado adicionado por Editora Manole em 28/10/2019

Encontrou alguma informação errada? Perguntar para a Editora Manole

ISBN relacionados

--


Metadados completos:

  • 9788520462508
  • Livro Impresso
  • Crianças felizes
  • o guia para aperfeiçoar a autoridade dos pais e a autoestima dos filhos
  • 1 ª edição
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • --
  • Dias, Magda Gomes (Autor)
  • educação positiva, inteligência emocional, COMO ESTE LIVRO ESTÁ ORGANIZADO, Criar filhos resilientes, positivos e felizes, Saber falar com o seu filho, Quem manda aqui sou eu, EDUCAÇÃO E PARENTALIDADE POSITIVA, afinal, o que é Parentalidade Positiva, Os diferentes tipos de educação, A educação autoritária, A educação permissiva, educação negligente, Por que esses tipos de educação não funcionam
  • Autoajuda
  • 1554
  • PSY039000, SEL044000, EDU000000
  • 2020
  • 09/10/2019
  • Português
  • Brasil
  • 5-8 anos
  • Livre para todos os públicos
  • 15.5 x 22.5 x 1 cm
  • 0.33 kg
  • Brochura
  • 224 páginas
  • R$ 71,00
  • 49019900 - livros, brochuras e impressos semelhantes
  • 9788520462508
  • 4999
  • --

Sumário

PREFÁCIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . IX

COMO ESTE LIVRO ESTÁ ORGANIZADO? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XV

Capítulo 1 Tudo aquilo que você tem de saber antes de começar . . . XV

Capítulo 2 O que se passa na cabeça do seu filho? . . . . . . . . . . . . . . . . XV

Capítulo 3 Criar filhos resilientes, positivos e felizes . . . . . . . . XVI

Capítulo 4 Saber falar com o seu filho . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . XVI

Capítulo 5 Quem manda aqui sou eu! . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XVI

INTRODUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XIX

1 – EDUCAÇÃO E PARENTALIDADE POSITIVA . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1

1.1 Afinal, o que é Parentalidade Positiva? . . . . . . . . .. . . . . . . . . 6

E aí vem a pergunta: qual é o objetivo disto? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

1.2 Os diferentes tipos de educação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8

A educação autoritária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9

A educação permissiva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12

A educação negligente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

1.3 Por que esses tipos de educação não funcionam?............... 14

1.4 Praticar a Educação e a Parentalidade Positiva no dia a dia . . . . . 15

A diferença entre a Parentalidade Positiva e o Attachment Parenting 17

1.5 Existe mimo a mais? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17

Como colocar limites firmes e empáticos, sem humilhar ou recorrer a chantagem ou a ofertas? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18

1.6 Afinal, os limites e as regras são sinônimos de felicidade? . . . . 19

1.7 Regra no 1: pais felizes = filhos felizes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19

1.8 O segredo das famílias felizes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22

1 .8 .1 Os pais também precisam de apoio . . . . . . .. . . . . . . . . . . . 24

2 – O QUE SE PASSA NA CABEÇA DO SEU FILHO? . . . . . . . . . . . . . 27

2.1 E de repente o seu anjinho vira diabinho . . . . . . . . . . . . . . . . 31

Comportamentos próprios da idade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32

12-18 meses . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32

18-24 meses . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32

24-36 meses . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32

3-4 anos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . 33

4-6 anos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33

2.2 O cérebro e a personalidade do seu filho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35

E por que é importante sabermos como funcionam os hemisférios cerebrais dos nossos filhos? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37

2.3 As birras do andar de baixo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40

Então, o que fazer? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . 41

Como saber que é uma birra do “andar de baixo”? . . . . . . . . . . . . . . 45

2.4 Conecte os dois pisos do cérebro do seu filho! . . . . . . . . . . .. . . 46

2.5 Cinco passos para ajudar o seu filho a aumentar a Inteligência Emocional e a administrar as suas emoções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48

2.6 As birras do andar de cima . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .49

3 – CRIAR FILHOS RESILIENTES, POSITIVOS, FELIZES E COM UMA BOA AUTOESTIMA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53

3.1 A Inteligência Emocional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57

Por que é importante conhecer o nome das emoções? . . . . . . . . . . 59

Os cinco pontos fundamentais da Inteligência Emocional . . . . . . . . 59

3.2 Dar nome ao que sentimos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

3.3 Explicar as emoções às crianças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66

3 .3 .1 O medo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66

3 .3 .2 A alegria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66

3 .3 .3 A raiva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67

3 .3 .4 A tristeza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67

3 .3 .5 O afeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67

3.4 Autoestima e resiliência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71

3 .4 .1 Como promover a autoestima no seu filho . . . . . . . . . . . . . . . . 73

1 – Respeite a natureza do seu filho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . 81

2 – Crie memórias positivas e fale delas com frequência . . . . . . . . . . 81

3 – Tenha contato . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82

4 – Ensine-o a não se levar tão a sério . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82

5 – Seja grato . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . 82

6 – Ensine-o a fazer coisas sozinho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82

7 – Desenvolva o respeito mútuo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82

8 – Famílias felizes vão para a cama depois de fazerem as pazes . . . . 83

9 – Seja feliz primeiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84

3.5 Os elogios são uma excelente estratégia para criar uma criança insegura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85

3.5.1 O elogio e as expectativas que criamos em relação aos nossos filhos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 86

3.5.2 As frases que marcam a diferença . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89

3.5.3 A importância das expectativas que criamos em relação aos nossos filhos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92

3.6 A moda das tabelinhas e dos smiles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96

3.7 Como criar uma criança resiliente, usando técnicas de coaching? 100

3.8 Um olhar especial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103

3.8.1 A concentração das crianças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103

3.8.2 Bullying . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108

4 – SABER FALAR COM O SEU FILHO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 115

4.1 A importância da comunicação e os mitos da moda do falar positivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 119

4 .1 .1 Os mitos da moda do falar positivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 120

4 .1 .2 Afinal, como eu falo positivo? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 123

4 .1 .3 Criar oportunidades para o “sim” . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . 124

4 .1 .4 Seja específico e proativo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 125

4 .1 .5 Mude a sua linguagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 128

4.2 Escuta ativa ................................................. 137

4.3 Falar a verdade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 139

4.4 A linguagem não violenta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141

4 .4 .1 Como usar a linguagem não violenta no dia a dia com os nossos filhos? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ........ 142

4.5 Para ir ainda mais longe . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . 144

5 – QUEM MANDA AQUI SOU EU! . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 147

5.1 Para educar uma criança é necessário fazer um curso? . . . . . . . 151

5.2 A verdadeira missão dos pais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 152

5.3 Por que os filhos não obedecem, naturalmente, aos pais? . . . . 153

5 .3 .1 A questão da evolução cerebral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155

5 .3 .2 Uma questão de agendas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . 157

5.4 Cooperação e autoridade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . 161

5 .4 .1 Como aumentar o vínculo parental no dia a dia . . . . . . . . . . . . 165

5.5 Preparar a adolescência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 169

5 .5 .1 O dia do filho único . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 171

5.6 Como ser a autoridade de que o seu filho precisa? . . . . . . . . . 173

5.7 A técnica do reconhecimento, da descrição ou espelho . . . . . . 181

E se ele ficar bravo e começar com as birras de costume? O que eu faço? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 182

5.8 Castigos e palmadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 183

5.9 O poder das consequências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 185

O que as consequências lógicas ensinam, então? . . . . . . . . . . . 186

5 .9 .1 As cinco regras de ouro das consequências . . . . . . . . . . . . . 190

5.10 O timeout (ou o “vai ali pensar na sua vida”) . . . . . . . . . .. . . . . . 193

5 .10 .1 Ainda a questão das tabelinhas e da autoridade . . . . . . . . 197

5.11 A importância da reparação, da fé e do perdoar . . . . . . . . . 198

5.12 Um último olhar sobre a questão da obediência (que significa cooperar. Ponto final) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 200



Áreas do selo: ArtesAutoajudaEducaçãoGastronomiaHumanidadesInfantojuvenilLiteratura estrangeiraLiteratura nacionalSaúde, esporte e lazerTécnicos

A Editora Manole é líder em prover conteúdo essencial à formação do estudante, do profissional nas áreas científicas, técnicas e profissionais.

Saiba mais